Não basta participar de uma manifestação, você têm de saber o porquê está lá!, e foi através desta reflexão, que estive conferindo a “Parada Livre Gay” nas cidades de Caxias do Sul e Porto Alegre.

Parada Gay: História e Objetivo

       Diversos protestos e passeatas mobilizam o país o ano inteiro. No Brasil, o povo já se uniu por vários ideais ao longo das últimas décadas, enfrentaram a ditadura militar nos anos 60′ com a Passeata dos 100 mil; na década de 90′ conseguiram derrubar o então presidente Fernando Collor de Mello com a manifestação chamada de Impeachment; em 2013 realizaram as Manifestações de junho que contestava o aumento nas tarifas de transporte público, e em 2014 as Passeatas pacíficas que visavam protestar contra os gastos nas construções de estádios e estruturas para abrigar a Copa do Mundo FIFA realizada naquele ano no Brasil, onde muitas pessoas não sabiam o real motivo de estarem lá, mas participavam das caminhadas de protesto fazendo selfies para mostrarem o seu lado de cidadão politicamente correto. E é partindo deste princípio, que fui às ruas participar de outra manifestação, com a intenção de averiguar se os militantes sabem os motivos que os levam a participarem delas, e se não estão lá apenas por participarem de uma multidão.

Como funciona a Parada Gay

    Para a realização desta webreportagem, estive presente em duas passeatas realizadas por várias cidades do mundo todo, e também todos os anos, a Parada Livre Gay, que visa lutar por ações afirmativas dos gays, defender e proteger as leis existentes às causas LGBT‘s, e, combater o sentimento de vergonha e hostilização sentido por muitos homossexuais ao redor do mundo.

Parada Gay no Brasil

      Embora os representantes de ONGs (Organizações Não Governamentais) que lutam por estas causas expliquem no palco e durante a passeata a seus manifestantes as vitórias conquistadas pela classe e sobre os motivos das realizações das paradas, muitas pessoas que participam da caminhada da luta pelos direitos dos homossexuais não conhecem os reais motivos da manifestação.

Veja como foi a primeira parada LGBT do Brasil, feita há 20 …

     Partindo disso, entrevistei alguns dos manifestantes que estavam presentes nas duas militâncias, perguntado se conheciam algumas das leis que os protegem, ou a história que deu origem às passeatas do gênero, e o real motivo de estarem lá. Foram feitas as mesmas 5 perguntas a todos: “O Que veio fazer na manifestação?”, “Sabe o real motivo da realização/existência de uma Parada Livre Gay?”, “Sabe traduzir a sigla LGBTTT?“ (Sigla referente à Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis, Transexuais e Transgêneros), “Conhece alguma lei que protege os homossexuais?” e “Se já ouviu falar de PLC 122?” (Projeto de Lei da câmara que visa criminalizar a discriminação motivada unicamente na orientação sexual ou na identidade de gênero da pessoa discriminada). Abaixo, conferimos os resultados:

As polêmicas que a Parada Gay já levou para a rua no Brasil

      A primeira passeata que conferi foi realizada em Caxias do Sul, que segundo estimativa da Brigada Militar, passaram por lá cerca de 3 mil pessoas, mesmo diante da condição climática não favorável à festa que apresentava vento e uma leve garoa. O evento ainda contou com a presença da corte das Rainhas da Festa da Uva 2016 e show da cantora LUKA, que cantou o seu maior sucesso, o hitTô Nem Aí”, dentre outras canções de seu repertório e algumas canções de sucesso internacional. Porém, devido à mudança de local, que antes era realizada na praça Dante Alighieri no centro da cidade, sendo transferida para o Largo da Estação Férrea com a intenção de tornar o evento mais seguro sem alterar a rotina do trânsito, não houve a tradicional passeata ao redor da cidade.

Parada Livre vai ser transferida para a Estação Férrea

foto 2
Rainhas da Festa da Uva de 2016 com representantes da Parada Livre 2015 de Caxias do Sul (Foto: Antonio Lorenzett).

Parada Livre de Caxias do Sul

     A primeira entrevistada da cidade foi a vereadora e simpatizante do movimento Denise Pessoa, 34, que participa desde 2002 em apoio a causa dos homossexuais, e comentou sobre a importância que a realização do evento traz para a cidade, o que os militantes desta causa ganham diante da manifestação, e o respeito adquirido mediante a presença dos simpatizantes que passam pela celebração abolindo cada dia mais o preconceito. E em relação às perguntas só não soube nos informar quais são as leis que protegem os manifestantes da Parada livre, mas sabe que a PLC 122 é uma das leis que protege e criminaliza a discriminação contra a classe dos homossexuais, e deu ênfase à causa ao dizer: “a intolerância tem prevalecido e tem matado”.

       Outro manifestante, o estudante de Relações Públicas, Diego dos Reis, 22, frequenta o evento 4 anos. Compareceu à manifestação para encontrar amigos e ver o que mudou atualmente em relação aos anos anteriores ao apoio à causa. Respondeu a questão do projeto de lei da câmara que criminaliza a discriminação da orientação sexual dentro da pergunta anterior, porém só não sabia que ela se chamava justamente PLC 122, e enfatizou que a maioria dos participantes da Parada Livre de Caxias do Sul não vem exclusivamente para defender seus direitos, e sim para se divertirem e conhecerem novas pessoas.

    A última entrevistada da serra foi Diandra Oliveira, 20, frequentadora assídua nos últimos 3 anos, comparece ao evento para encontrar os amigos e defender seus direitos. Embora não soubesse o que deu origem a realização da Parada Livre, conhecia as práticas que podem ocasionar em crime contra os homossexuais, mas não tem conhecimento das leis que a protegem, e comenta que a união e o comparecimento dos Lgbt’s para a realização da manifestação é importante, para que a causa continue a ganhar destaque e a ser respeitada.

foto 3
Parada Livre de Caxias do Sul 2015 (Foto: Rafael Teixeira).

Parada Gay Oficial de Porto Alegre

       Já em Porto Alegre, o tempo favorável com muito sol reuniu em torno de 60 mil pessoas segundo a EPTC. E como já é tradição, em ambas houveram apresentações de drag-queens, go-go boys e grupos de dança com a diferença de na capital gaúcha ter a presença de trios elétricos e caminhões de som com diversos manifestantes em cima, entre eles a ex-candidata à presidência do país, Luciana Genro, onde realizaram a tradicional passeata ao redor do parque Farroupilha (também conhecido como parque da Redenção).

foto 4
Parada Gay 2015 de Porto Alegre (Foto: Rafael Teixeira).

Parada Livre lota Redenção contra projetos de Cunha …

       A Parada Livre Gay de Porto Alegre também serviu para um protesto em especial referente ao presidente da Câmara, o evangélico EDUARDO CUNHA (PMDB-Rj). O ponto alto da manifestação veio com faixas de dizeres “FORA CUNHA” em cima de um dos trio-elétricos em que a advogada e política brasileira, e também fundadora do PSOL (Partido Socialismo e Liberdade), Luciana Genro, lançava críticas à agenda conservadora que tomou conta do Congresso Nacional perante à liderança do político, e relembrando que a briga de Cunha com os homossexuais vem desde 2011, quando foi apresentado por ele o projeto que instituia o “Dia do Orgulho Hétero” no Brasil, dizendo que o objetivo da proposta era “resguardar direitos e garantias aos heterossexuais de se manifestarem e terem a prerrogativa de se orgulharem do mesmo e não serem discriminados por isso”.

foto 5
Manifestantes com a ex-candidata à presidência do Brasil Luciana Genro (Foto: Rafael Teixeira).

Luciana Genro na 19ª Parada Livre LGBT de Porto Alegre – Duração: 1:03.

       Voltando ao nosso princípio, encontramos mais alguns ativistas presentes na passeata, que concederam mais entrevistas, respondendo as questões referente a importância de saberem os motivos e o porquê de estarem participando da celebração.

       O primeiro entrevistado foi Diogo Rodrigues, 19, que frequenta a gay parade há 3 anos pelo motivo da grandiosidade da festa, da música, e do grande volume de pessoas que abriga militantes e simpatizantes de várias cidades do estado e também do país, classificando o evento como “uma festa a céu aberto onde a classe homossexual, sente-se livre para demonstrar seus sentimentos homo-afetivos”, destacando também a importância da parada livre para a visibilidade das causas homossexuais, e a busca dos jovens gays por apoio das tradicionais famílias com a intenção de diminuir o preconceito, mostrando-lhes como é a vida de um cidadão homossexual dentro da sociedade, e comentou “Gay, não é uma questão de escolha, ninguém acorda gay, pois assim você nasceu, assim como também não escolhe a situação mais difícil para enfrentar durante o resto da vida.”

       Já quando questionado sobre as leis, acredita que tem as que defenda os homossexuais, porém não as conhece, assim como nunca ouviu falar de PLC 122, chegou a cogitar que era uma “banda de música Gay” ao estilo CPM 22, assim como também não sabe todo o significado da sigla “LGBTTT”, lembrando apenas da antiga “LGBT” (Lésbicas, Gays, Bissexuais e Travestis).

       A segunda entrevistada foi Jéssica Silva, 23, que frequenta há 2 anos, e acha importante a realização da parada livre para desvirtuar a imagem de que gays e lésbicas servem somente para alegrar ambientes ou viverem em armários, mostrando que todos estão fazendo a diferença dentro da sociedade, por conta do grande destaque que estão tendo em suas carreiras profissionais, do profissionalismo e compromisso com o meio-ambiente e com a comunidade, tornando assim a cidade menos preconceituosa. Comparece à parada livre para acompanhar amigos e mostrar que não tem vergonha de sua condição sexual, e quando questionada sobre as leis, sabe que está em vigor uma lei (a PLC 122), mas que não a conhece, assim como também não conhece a história que originou a realização das Paradas Livres, mas acredita na importância da parada gay para que os demais participantes busquem este tipo de informação sobre seus direitos.

       A última entrevistada foi a transexual Brenda Rolston (nascida Sidney Rossi), 25, que participa da parada livre desde os 15 anos e, nesses 10 anos em que a frequenta, viu a evolução da cidade em relação ao preconceito, percebendo que a militância ajudou a desmistificar muitos pensamentos negativos que os cidadãos tinham dos gays anteriormente: “hoje em dia, nas grandes cidades, as pessoas nos aceitam mais, não pensam que vamos contaminar os outros com homossexualidade, mas no interior ainda nos veem desta forma”, comenta. Sobre a sua participação na Parada Gay, menciona que este é o único dia que os homossexuais têm para se unirem, saindo às ruas e mostrando o quanto amam o lugar que vivem (a cidade de Porto Alegre), e a sensação do momento presenciado durante a passeata da parada livre. Brenda participa da ONG Igualdade RS (Associação de Travestis e Transexuais do Rio Grande do Sul), e por conta disso conhece o significado da sigla LGBTTT, conhece a história que originou as Paradas Livres, e aprendeu sobre as leis que protegem seus direitos, assim como já ouviu em pauta sobre o projeto da lei PLC 122.

Manifestações no Brasil

       Identifica-se então que, em meio a uma parcela da sociedade que vive em mascarar preconceitos e de cunho conservador, o movimento LGBTTT e os demais outros tipos de manifestações realizadas cujo o objetivo é protestar, precisam ter mais cuidado para não perderem a credibilidade da bandeira que levantam, de suas lutas e a importância em dar visibilidade sem vulgarizar suas causas ou perdendo suas essências. Dando assim, mais legitimidade para buscar políticas públicas, que possam evidenciar a importância da pluralidade e diversidade. E que enquanto vivermos em um regime democrático, todos possam expressar sua voz, lembrando que o poder público em suas três esferas, tem por obrigação assegurar, prevenir, proteger, reparar e promover políticas públicas que busquem sempre afirmação dos direitos humanos para a sociedade.

foto 6
Passeata contou com a presença de cerca de 60 mil pessoas (Foto: Rafael Teixeira)

Vídeos sobre as paradas Gays de Caxias do Sul e Porto Alegre:

Parada Livre de Caxias do Sul por Rádio Caxias:

Rádio Caxias: Parada Livre 2015

Rádio Caxias: Parada Livre 2015

Outros vídeos da Parada Livre de Caxias do Sul:

Parada gay Caxias do Sul

Vídeo promocional da 19° Parada livre de Porto Alegre:

19ª Parada Livre de Porto Alegre

Reportagem R7 sobre a Parada Livre de Porto Alegre:

19 parada gay livre Porto Alegre ( Redenção)

Outro vídeos sobre a 19° Parada livre de Porto Alegre:

Parada Livre 2015-Porto Alegre. Cala a Boca, Piangers – Piangers na Parada Gay

08 – 19ª PARADA LIVRE DE PORTO ALEGRE

Parada Gay – Porto Alegre.m4v 

Imagem externa: Antonio Lorenzett

Reportagem: Jorge Rafael Teixeira Soares

Anúncios